segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

São Silvestre Cidade do Porto

Dezembro é mês de corridas de São Silvestre...
Um pouco por toda a parte (ok, estou a exagerar um pouco) lá se vão realizando estas corridas típicas do final de ano.
Depois do ano passado ter faltado, este ano regressei à S. Silvestre Cidade do Porto.


Como eu foram muitos os que o fizeram. As inscrições para a prova estavam esgotadas à algumas semanas. 10.000 atletas eram esperados no Porto, sendo 6.000 para os 10 kms e 4.000 para a mini/caminhada. Contudo, um pouco menos de 5.000 chegaram à meta...

Não são provas onde se consigam grandes resultados [pelo menos para quem, como eu, não tem número "VIP" (os critérios de atribuição de números "VIP", esses, ficam para outro texto...) e demora cerca de 30 segundos para chegar à partida, fazendo o primeiro km em 4'30'' ziguezagueando por entre a multidão que, teimosamente, apesar do ritmo lento de corrida faz questão de partir na frente, indo para a zona de partida quase no dia anterior...] mas, nesta altura do ano em que a forma e as provas principais ainda estão longe, gosto de me "motivar" com estas provas de corrida.

A malta de Ovar foi, animada, de comboio até S. Bento. O facto dos atletas terem a viagem de regresso gratuita (bastando apresentar o dorsal da prova) - boa iniciativa da organização! - e a dificuldade que é arranjar estacionamento, para além do convívio durante as viagens, justifica bem esta opção.
Aí chegados e, depois dos procedimentos logísticos habituais, lá nos equipámos (obrigado Orlando!) e fomos para a partida. Tínhamos duas opções: ou aquecíamos e ficávamos para trás na partida ou, para ficar mais à frente, não dava para aquecer. Ficámos pelo meio termo mas, ainda assim, tivemos que saltar as grades para conseguir um lugar um pouco mais à frente (mesmo assim demorámos quase 30'' a chegar à partida, com a agravante de ter um primeiro km horrível que compromete qualquer esperança de conseguir um tempo razoável).
A organização ainda se deu ao trabalho de, aquando das inscrições, dividir os atletas em 4 grupos: Elite (ou "VIP"), Grupo A, B e C, conforme o prognóstico de tempo final. A ideia, penso eu pelo que me apercebi, era agrupar os atletas na partida de acordo com estes grupos. Esta ideia, interessante e que já realiza noutras provas, cai no entanto por terra quando não se coloca ninguém a controlar isso e se deixa que sejam os atletas a fazê-lo (infelizmente ainda não chegámos a um estado social de tal forma elevado que permita que as coisas funcionem assim...).

O percurso (novo, para mim que não fiz a edição passada) é interessante. Exigente, como já era o anterior, mas com a passagem do Túnel de Ceuta que nos impulsiona quando as forças já começam a faltar. Depois, correr à noite na cidade é sempre fantástico. Sejam as luzes, as pessoas, ou simplesmente porque não é habitual a mim sabe-me sempre bem. Ainda para mais quando tinha chovido bastante anteriormente e, pouco antes da prova, a chuva parou para que nós pudéssemos passar...


A prova, propriamente dita, foi a possível. Os 35'49'' de tempo oficial (35'30'' de tempo líquido) colocam-me em 85.º da Geral (32.º Sénior Masculino). Podem ver a classificação completa aqui.
Agora seguem-se uns treinos ligeiros (que a época festiva assim o pede) e, em Janeiro, regresso em força à rotina.
Boas Festas!

2 comentários:

liliana disse...

Um beijo grande para o meu grande Atleta!!!

Pedro Brandão disse...

GRande Hugo. Eu nem nos meus melhores sonhos penso em fazer esse tempo. GRande atleta.
Um abraço.