terça-feira, 21 de maio de 2013

Triatlo Longo de Aveiro (S. Jacinto) 2013

A freguesia de São Jacinto, em Aveiro, recebeu este fim de semana mais uma edição do Triatlo Longo de Aveiro, uma prova disputada na distância de Half-Ironman (1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida)integrada no Campeonato Nacional de Triatlo Longo.


Esta prova, que vai já na sua 4.ª edição, tem vindo a bater ano após ano recordes de participação e, este ano, não foi excepção com mais de 250 atletas inscritos na prova principal (sendo que cerca de 80 atletas eram de Espanha). Se, a este número, juntarmos também os atletas mais jovens (que competiram no sábado), então o número ultrapassa o meio milhar de atletas.
Mas nem tudo são rosas... A organização da prova (Câmara Municipal de Aveiro e Federação de Triatlo de Portugal, com o apoio da Junta de Freguesia de S. Jacinto) decidiu duplicar o valor da inscrição este ano (passou de 25 para 50€), sendo que (pelo menos no que me apercebi) a única diferença se prendeu com a água nos abastecimentos do ciclismo ser fornecida em bidons. Este é um facto extensível a outras provas/distâncias este ano. Serão efeitos da crise?!...
Uma outra alteração nesta edição - embora esta me tenha, pessoalmente, agradado - registou-se no segmento de corrida. O percurso deixou de ter 5 voltas e passou a ter apenas 4. Não que a distância tenha sido encurtada mas sim porque a volta a realizar foi alterada. Continuamos a ter uma corrida feita quase exclusivamente dentro do Regimento de Infantaria n.º 10 (Aérea Militar de S. Jacinto) mas, com uma volta mais extensa, e com o piso em melhor estado.
Este foi apenas o meu segundo triatlo este ano e, depois da má natação que tinha feito em Alpiarça, estava um pouco apreensivo para ver como me sairia aqui. Logo nos primeiros metros a confusão foi, como habitualmente, grande mas lá me aguentei e, ainda antes da primeira boia já tinha conseguido arranjar "o meu espaço" e seguia a um ritmo agradável. Até ao final foi uma questão de aguentar o ritmo e fazer a melhor navegação possível. Saí da água muito perto dos 36 minutos o que, para mim, foi um bom resultado. Parece que, finalmente, começo a ver algum resultado do que vou fazendo na piscina.




Seguiam-se 90 km de bicicleta e, ainda no parque de transição, tomei uma decisão que me viria a fazer passar um mau bocado e a sofrer bastante. Enquanto tirava o fato isotérmico e colocava o capacete, etc. "analisei" as condições climáticas. Não chovia e, pensei eu, que o pior já tinha passado. Apesar de ter no parque um casaco windstopper e uns manguitos decidi não levar nem um nem outros. Tinha poucos kms de bicicleta quando a chuva e o frio começaram a intensificar, deitando por terra a minha "cuidada análise". Seguiram-se duas voltas de puro sofrimento. Eu não tinha frio, estava gelado. Não sentia as mãos nem os pés. Não consegui beber nem comer nada pois a única vez que tirei uma das mãos do guiador para pegar no bidon tive a sensação que, para além de o deixar cair, ia eu também cair. Todo eu tremia, a ponto de ficar com dores nos maxilares, e a minha frequência cardíaca não saía dos 125/130 bpm. Só na terceira volta, quando a chuva parou e o sol começou a espreitar por entre as nuvens, é que eu fiquei um pouco mais confortável e consegui pedalar melhor. Quando entrei novamente no parque de transição para iniciar a corrida tive uma sensação de alívio gigantesca. Foi, para mim, um segmento de ciclismo duríssimo (e o número de desistências neste segmento confirmam-no).


No segmento de corrida fiz o que esperava. Corri com um ritmo forte mas confortável que, apenas na última volta, baixou ligeiramente pois senti que as forças já me começavam a faltar. Neste segmento, tal como já referi, gostei da alteração do percurso relativamente aos anos anteriores.
Aqui ficam os números.
Natação: 36:12
T1: 2:45
Ciclismo: 2:37:27
T2: 0:57
Corrida: 1:21:08
Total: 4:38:30
Classificação:  34.º Geral/18.º Sénior Masc.




Apesar de algumas contrariedades consegui melhorar a minha marca na distância (que tinha sido alcançada aqui o ano passado). Foram apenas 25 segundos, é certo, mas podiam ter sido muitos mais...
Em termos colectivos o Porto Runners fez-se representar por 4 talentosos atletas (eu, o António Ribeiro, o Renato Cardoso e o Rui Martins - este que, na sua estreia em provas longos, se portou muitíssimo bem concluindo esta prova em 5:13).

6 comentários:

joao rita disse...

Se foi duro , então considera-te um sortudo pois já vais preparado para o que te espera no iberman. Fazemos figas para que a nortada seja de calmaria.
1 abraço
Bons treinos

João Correia disse...

Um tempo total de fazer inveja. Na realidade, és um atleta talentoso. :))
Parabéns, Hugo.

Fernando Carmo disse...

E eu a julgar que tinha corrido bem! :-)
Depois de congelares, correres para 1h21' é obra. Bons treinos!

liliana disse...

Muito parabéns!
A tua força e garra fazem de ti um atleta exemplar.. Que orgulho!!
Bom descanso..
Beijo grande

MT disse...

Parabéns! Só quem lá esteve é que sabe a dureza do ciclismo. Tu na corrida voas baixinho. Qual é o segredo?

Hugo Gomes disse...

Obrigado camaradas!

Quanto à corrida, muito do segredo passa por ter um grupo de treino. Isto permite treinar a níveis mais elevados do que faria se treinasse sozinho e, naturalmente, alcançar melhores resultados.

Um abraço!