segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Trail da Lousã

Sábado, na Lousã, decorreu mais uma jornada de trail - a 3.ª (e última) etapa do circuito AX Trail séries. Esta etapa era especial pois além da distância "comum" das outras etapas (30 kms) tinha também o Ultra Trail das Aldeias do Xisto, com 82 kms e 5.000 D+.
Eu, que nem sou muito dado a estas aventuras, nesta fase da época - para "desenjoar" da estrada - acabo por fazer uma ou outra prova de trail. Os 80 kms seriam certamente um desafio fabuloso mas não agora, pelo que optei (e bem) por me inscrever no Trail (30 kms).
Às 6 horas da manhã, quando acordei, a chuva caía impiedosa e estavam os corajosos atletas a partir para o UTAX (82 kms/5.000 D+). Entre eles estavam os meus colegas Telmo Veloso e Susana Simões.


A minha prova começou mais tarde (às 10 horas) mas ainda (e sempre) com muita chuva e frio. O percurso era muito interessante e variado (single tracks, escadarias, levadas, corta fogos, bosques, etc.) mas com muito sobe e desce (1.856 D+). Estes declives conjugados com a chuva tornaram alguns locais extremamente escorregadios (em 2 descidas aquilo tinha tanta lama que mais parecia esqui ou snowboard).


Se nas subidas eu lá ia andando (em algumas literalmente, pois a inclinação e a gestão do esforço assim o ditavam) e passava algum pessoal, sempre que era a descer eu perdia algumas posições (sou mesmo cagarolas...). Ainda assim, com toda esta prudência não escapei a algumas quedas, numa das quais - aos 10 kms, ao passar um obstáculo - bati com o joelho esquerdo num ramo, ficando o joelho dorido até ao final da prova.
A minha gestão do esforço - para mim uma das grandes mais valias destas provas - foi relativamente eficaz, tendo conseguido terminar relativamente bem a prova. Contudo, já no final quando faltavam cerca de 2 kms para a meta, na saída de um estradão para um single track, deu-me uma cãibra generalizada nas 2 coxas como eu nunca tinha sentido, de tal maneira que quase nem me consegui aguentar em pé. Depois de recuperar um pouco, lá fiz o single track com algum sacrifício e, quando entrei no alcatrão – a 1 km da meta – tudo passou. Fui controlando para não me dar outra cãibra mas ainda fiz 4’10’’ e passei 2 tipos (que tinham passado por mim na entrada do single track e que iam agora a passo). O pior foi depois, já no banho. Aí começaram a aparecer todas as dores - no joelho e musculares - e  até para me despir e vestir tive que inventar pois as cãibras eram constantes. Que valente empeno!...
Cumpri os 30,5 kms em 4h01’04’’ tendo ficado em 30.º lugar na classificação geral.


Uma palavra de apreço à organização da prova pois pareceu-me bastante bem. Tudo decorreu com normalidade, haviam voluntários espalhados pelos locais mais críticos do percurso, abastecimentos em quantidade e qualidade e boa marcação do percurso.

Nota final: As fotos são (mais uma vez) da autoria da minha namorada - Liliana - que me acompanhou e fez os Caminhos do Xisto, mesmo debaixo de chuva (vejam como ela está cada vez mais embrenhada neste mundo "tenebroso" maravilhoso do desporto...).