segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

S. Silvestre de Ovar

A Câmara Municipal de Ovar e a Fullsport organizaram no passado dia 20 de Dezembro a 1.ª S. Silvestre de Ovar.


Ovar já tem uma Meia Maratona de referência e agora, tendo em conta o sucesso que foi esta S. Silvestre, passou a ter mais uma prova a ter em conta.
Este evento englobava uma corrida de 10 kms e uma caminhada de 3,5 kms tendo conseguido juntar cerca de 2.000 participantes (1.400 atletas inscritos e 800 pessoas na caminhada). 


O CAO, a correr em casa, fez-se representar por muitos (e bons) atletas, entre os quais eu me incluia. Não estava na melhor forma e foi com "tranquilidade" que encarei esta prova. Fui de tal forma tranquilo que me posicionei muito mal na partida e, quando cruzei a linha de partida, o cronómetro marcava já 17 segundos. Para além deste tempo há que contar ainda com a confusão dos metros iniciais onde uma multidão de atletas mais lentos teima em sair dos primeiros lugares o que me obrigou a ziguezaguear bastante. Passada a confusão inicial tentei impor o meu ritmo e foi com alguma surpresa que consegui correr a um ritmo médio próximo dos 3'30''/km nestes 10 kms.

Tempo: 35'19''
Classificação: 59.º Geral / 26.º Sénior Masc.
Todos os resultados aqui.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

24.ª Volta a Silgueiros

Decorreu no domingo passado a 24.ª edição da "Volta a Silgueiros", uma das clássicas provas de atletismo do distrito de Viseu.





Numa organização da Associação Social Desportiva e Recreativa de Silgueiros, esta edição teve a particularidade de integrar os Campeonatos Nacionais de Estrada da ANDDI (Associação Nacional de Desporto para a Deficiência Intelectual), com provas que variavam entre os 1.000 e os 10.000 metros de distância.
A prova "principal" do programa, com 15 km de distância, apresentava um percurso "selectivo". A partida/meta foi feita nas Lages, seguindo-se depois uma passagem pelo Areeiro, Bela Vista, Loureiro, Pindelo, Ramal de Passos, Passos e Cruzamento de Parada de Gonta.


Parti com alguma cautela mas, uma vez que esta prova contemplava o escalão de Veteranos I (35-39 anos) no qual eu me incluo, fui atento ao pelotão. E ainda era generoso o pelotão (para uma prova "popular" deste género, ter mais de 200 atletas parece-me bem). A corrida está na moda (e ainda bem).

Assim, depois dos primeiros kms mais conservadores, sensivelmente aos 4 kms de prova (onde se encontrava o 1.º abastecimento - e, se não me engano, foram 3 os abastecimentos) juntei-me aquele que eu considerava ser o grupo certo para mim. E assim segui até cerca dos 7 kms (retorno em Pindelo) onde me consegui isolar. Depois vinha "a" descida da prova. Foram cerca 2 kms a descer até Passos, onde o meu esqueleto se queixou um pouco. Compensou contudo pelo apoio da população pois, além da partida/chegada, aqui foi o local onde os atletas receberam mais apoio. Depois de descer era altura de subir até à meta. Tal como a descida anterior também esta subida era longa (cerca de 2 kms igualmente) e, já no final da prova, exigia um esforço suplementar dos atletas.

Foi a primeira vez que fiz esta prova mas, pelo espírito demonstrado, gostei bastante. Foi pena não ter tido oportunidade de ficar para o almoço convívio que foi feito no final (por 3€ de inscrição tínhamos direito a participar na prova, ao almoço convívio e a uma garrafa de vinho - de Silgueiros, claro) mas, fica para a próxima edição.

Quanto aos números aqui vão.
Tempo: 55' 33''
Classificação: 13.º Geral; 1.º Vet. I
FC média: 175 bpm
Ritmo médio: 3' 44''/km

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

26.ª Meia Maratona "Cidade de Ovar"



Decorreu no passado dia 5 de Outubro a tradicional (já vai na 26.ª edição) Meia Maratona "Cidade de Ovar", organizada pelo AFIS.
Esta prova englobava 3 actividades - Meia Maratona, Caminhada e Mini Maratona - permitindo assim que todos participassem nesta festa (dos mais preparados aos mais pequenos).
O tempo esteve bom (fresco mas sem chover), ajudando uma já de si muito boa organização, e foram muitos os atletas (quase 2.000) que se aventuraram na distância mais longa (21 kms).
O percurso, semelhante aos anos anteriores, é muito interessante, circulando pela cidade, pela floresta, pela praia e pela ria.



Depois de ter feito um teste na Meia Maratona do Dão (Viseu) fui para esta prova com expectativas mais altas. Decidi arriscar mais um pouco e, conhecendo os ritmos dos atletas, procurei seguir o grupo onde ia a Carla Martinho.


Assim fiz, umas vezes com mais dificuldade do que outras, até que na viragem no Areinho (com cerca de 18 kms cumpridos) comecei a acreditar que era possível fazer um resultado interessante.


Quando faltavam cerca de 2 kms forcei um pouco mais o ritmo e fiquei bastante contente com o meu desempenho.
Todos os resultados podem ser consultados aqui.

Resumo da história...
Tempo: 1h 17' 55''
Classificação: 79.º Geral (47.º Sen. Masc.)
FC média: 171 bpm
Ritmo médio: 3' 39'' / km

O CAO, a "jogar" em casa, fez-se representar por muitos (e bons) atletas, obtendo igualmente resultados interessantes. Grande equipa!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Mexa-se... pela sua saúde (e não só)

Os portugueses são dos povos mais sedentários da Europa.
Mas, e se todos corressem? O que seria diferente?
Como poderia ser o futuro?
Que impacto teria nas nossas vidas e na dos nossos filhos?

Foi com esta introdução que a Revista Montepio elaborou um artigo onde refere as vantagens (na saúde, na sociedade e na economia) da prática desportiva.
Os números são claros, só não vê quem não quer...



 

Por isso, mexa-se... pela sua saúde (e pela nossa sociedade e também pela nossa economia).

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Meia Maratona do Dão - Viseu, 2014

Hoje foi dia da "Corrida da Emoção". Viseu engalanou-se para receber a 1.ª Meia Maratona do Dão.


"Substituindo" a Meia Maratona das Vindimas, organizada há muitos anos pelo G. D. "Os Ribeirinhos", esta 1.ª Meia Maratona foi o culminar da Festa das Vindimas e contou com a organização da GlobalSport.
Além da Meia Maratona esta festa contou com a Mini Maratona (10 km) e a Caminhada (5 km), sendo esta última fundamental para "encher" a cidade (5.000 participantes nas três actividades).

Depois de alguns dias chuvosos foi com alegria que vimos o sol brilhar de o que tornou esta manhã (ainda) mais agradável.
Esta Meia Maratona teve muitos aspectos positivos, nomeadamente o facto de ter dinamizado a cidade em torno do Desporto e de ter tido a coragem de fechar (literalmente) a cidade ao trânsito nesta manhã.
Contudo, a escolha do percurso foi, para mim, desajustada. Eu percebo a opção de fazer a prova passar pelas zonas turísticas da cidade (Rua Direita, Rua Formosa, Adro da Sé, etc.) mas, esta opção, obrigou-nos a fazer muitas subidas e, principalmete, a correr muitos kms em "pavê".


Relativamente à prova em si, dado que o volume (e a intensidade) do treino não me permitiram grandes aventuras, comecei com calma. Há medida que os kms foram passando eu fui-me sentindo bem e "apertei" um  pouco o andamento. No final fiquei não só satisfeito como surpreendido com o resultado alcançado.


Tempo: 1h 24m 23s
Classificação: 20.º Geral (10.º Sénior Masc.)

Ritmo médio: 3m 58s / km
FC média: 161 bpm

As classificações podem ser consultadas aqui.

Na Mini Maratona, depois de muitos treinos, a Lili cumpriu - e bem - a distância. Acima de tudo acabou bem e com vontade de voltar.


Além da questão do percurso ficam apenas algumas notas para a organização em aspectos que, sendo de menor importância, têm que ser tidos em conta dado o profissionalismo da empresa organizativa.

Além da classificação individual justificar-se-ia uma classificação colectiva. Foram muitas as equipas que compareceram, com vários elementos e isso deve ser premiado. Neste particular o Clube de Atletismo de Ovar (CAO) teria ficado certamente bem posicionado.

Outro aspecto importante é cumprir com aquilo que dizemos. Não é pelo valor das coisas é mesmo por uma questão de integridade. No site indicavam que os participantes na Meia Maratona e na Mini Maratona receberiam uma garrafa de vinho do Dão.


No final da prova a Lili não só não teve direito a uma garrafa de vinho (é só para os atletas da Meia Maratona, disse quem as estava a entregar) como inclusivé lhe negaram uma maçã (pelos vistos alguns participantes da Caminhada tinham "abusado" das maçãs e, a partir de certa altura, as maçãs passaram também a ser apenas para os participantes da Meia Maratona). São pontos a rever e que não deveriam acontecer, tendo em conta o profissionalismo de uma organização destas.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A Minha Solução Para a Crise...

O tempo passa e não há meio da crise se ir embora do nosso país (e já nem falo da troika que essa ainda vai demorar muito).
Os políticos que nos (des)governam vão dizendo que as condições estão melhores, que os indicadores são positivos, que Portugal está em crescimento, etc. mas "cá em baixo" não se nota nada, pelo contrário.
E, pelos vistos, todos aqueles milhares de Portugueses que estão no desemprego, todos aqueles que se viram forçados a emigrar, etc. também parece que não notam.
E a contradição é de tal forma que nos dizem que as condições estão melhores, que os indicadores são positivos, etc. mas os cortes sucedem-se a um ritmo impressionante, de tal maneira que até querem intrerromper as férias aos Exmos. Srs. deputados da nação (nem que seja para apanhar "apenas" meio mês de cortes mas é melhor do que nada, para que possamos manter as "boas" condições do nosso país)... Claro que o (des)Governo não tem culpa, a culpa é do Tribunal Constitucional e de todos nós (se não que outra razão haveria para sermos nós a pagar a crise?). Até quando???...

Eu tenho uma proposta para resolver a crise do nosso país, que vou expôr de seguida.
Dividimos o país em Portugal Bom e em Portugal Mau.
No Portugal Bom ficariam todas coisas boas que fazem o país prosperar e ficariam responsáveis por esta parte todos os que, das mais diversas maneiras, contribuem para esta evolução.
No Portugal Mau ficariam todas as coisas que nos afundam e ficariam responsáveis por esta parte todos os que levaram (e vão levando) Portugal ao fundo. Todos os que investiram onde não deviam, todos os que compraram o que não podiam, etc.
Depois era só mudar a imagem do Portugal Bom para não ser confundido com o Portugal Mau e tínhamos o problema resolvido.
O que acham?

A banda sonora (fantástica) deste post só poderia ser...

domingo, 17 de agosto de 2014

S. Macário - A Subida

Há uns tempos fui até S. Macário com os meus colegas de pedaladas (era uma das subidas aqui há volta que me "faltava no curriculo"). Contudo, com "pena" de mim, apresentaram-me S. Macário por uma das vertentes menos agressivas (S. Pedro do Sul, Sta. Cruz da Trapa, Manhouce, S. Macário), ainda assim dura q. b.. A descida dessa volta foi feita até Sul (é mesmo o nome da povoação) por aquela que é "A Subida" a S. Macário. Deu para perceber, na altura, que essa vertente era brutal e fiquei com vontade de lá voltar e atacar S. Macário por este lado. Ontem foi o dia.


Saí de Viseu em direcção a Castro Daire (via N2) e daí segui para Sul onde iniciei "A Subida" a S. Macário.
Esta subida tem 9,4 kms de extensão com 9% de inclinação média mas os primeiros 6 kms são, como dizer... demolidores. São percentagens brutais, sempre sem aliviar e onde não há uma sombra para nos atenuar um pouco o sofrimento. Com desmultiplicação de 39x27 andei muito tempo com cadências de 45/50 rpm... Duríssimo (cadência média de 56 rpm e ritmo cardíaco médio de 165 bpm). Após cerca de 50 min. a subir lá conquistei S. Macário e pude desfrutar da magnífica vista dos arredores.


Na descida, após este esforço, nada melhor do que parar um pouco para recarregar de água e beber um daqueles refrigerantes (cujo nome começa em coca e termina em cola) que não sendo saudável, de vez em quando, sabe bem. Onde? No "Salva Almas", claro.


Aqui ficam alguns números deste treino/desafio.
Distância: 100 kms
Duração: 4h 25min
Desnível acumulado: 2.350 D+
Nutrição: 2 barras energéticas, 4 bidons (3 litros) de água e 1 coca-cola
Outros: 1 furo e 1 empeno brutal.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Descubram as diferenças

Hoje trago-vos um desafio. Descubram as diferenças nas imagens seguintes.

Antes

Depois


Á primeira vista o que mais se nota é que o local onde foi tirada a foto não é o mesmo.

Depois, para os mais observadores, veêm que o selim não é o mesmo.

O "velhinho" Specialized Tritip SL Gel



foi trocado pelo "estranho" ISM Adamo Breakaway.



Finalmente, para os mesmo muito observadores, apercebem-se do pneu traseiro furado na segunda imagem...


Se identificaram estas 3 diferenças, os meus parabéns!

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Jornada Dupla


Este fim de semana, um mês depois do Ironman, regressei à competição... e logo com uma jornada dupla.

Na tarde de sábado fiz o Duatlo da Ribeira de Ovar. Um sprint, em "casa", a que não podia faltar. Uma prova interessante que, infelizmente, teve pouca adesão. Malta do Norte, vamos lá apontar esta na agenda para engrossar o pelotão.


No domingo rumei à terra do João para fazer o Triatlo de Esposende, onde o Porto Runners teve uma presença agradável. Mais um sprint e uma partida com muitos, muitos atletas (novos, para bem da modalidade).


Depois de tanto tempo a treinar/competir a ritmos "confortáveis" estes sprints prometiam ser duros, muito duros. A última prova de triatlo/duatlo sprint que tinha feito foi a 2.Junho.2013.

No Duatlo da Ribeira de Ovar fiz toda a prova com o meu colega de equipa Telmo. No segmento de corrida inicial fui "rebocado" por ele, no ciclismo fomos alternando a puxar mas sem conseguir ganhar muito tempo ao atleta que seguia isolado na frente, pelo que na corrida final, sem possibilidades de chegar ao primeiro lugar e sem pressão por parte do 4.º atleta, aproveitamos para pôr a conversa em dia e "descansar" já a pensar no triatlo do dia seguinte.


Aqui ficam os números:
1.ª Corrida (5 kms): 17' 27'' (FC média de 182 bpm, para que não hajam dúvidas da dureza)
Ciclismo (20 kms): 32' 41'' (FC média de 166 bpm)
2.ª Corrida (2,5 kms): 10' 33''
Total: 1h 00’ 31’’
Classificação: 2.º Geral


Colectivamente a equipa do Porto Runners foi também a 2.º classificada.

Apesar do número reduzido de atletas tenho que saudar a forte presença dos atletas do CAO e da ARVOR (meus ex-colegas de treino) que, não sendo duatletas, marcaram presença nesta prova.



No domingo o Triatlo de Esposende ficou marcado pelo vento, que dificultou todos os segmentos. A natação, apesar de ser feita a favor da corrente, foi condicionada pela ondulação. Consegui lidar bem com a confusão habitual destas partidas com tantos atletas mas a ondulação complicou-me o segmento.


No ciclismo o percurso não tinha nenhuma dificuldade (leia-se subida), apenas o vento dificultava a deslocação. No final da primeira volta consegui apanhar um grupo (onde, por sinal, estava o Telmo) e assim segui até ao final do segmento. A minha dificuldade em seguir no grupo não foi devido à velocidade mas sim ao "nervosismo" e à quase ausência de regras de alguns elementos, a colocar outros atletas em perigo. A corrida final deixou-me com um sorriso pois, depois de um segmento de ciclismo controlado, fiz uma corrida forte. Tenho que ir fazendo umas provas destas, mais curtas, para "não esquecer".

Aqui ficam os números:
Natação (850 m): 12' 05''
Ciclismo (20 km): 36' 26''
Corrida (5 km): 17' 21''
Total: 1h 05’ 54’’
Classificação: 77.º Geral (20.º Sen. Masc.)


Colectivamente a equipa do Porto Runners ficou em 21.º lugar.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Northwest Triman - Ironman


A localidade de As Pontes (Corunha, Espanha) marcou a minha estreia na mítica distância Ironman (3,8 km de natação + 180 km de ciclismo + 42,2 km de corrida).
Este era um desafio que eu queria realizar há já algum tempo e, embora as condições para me preparar não fossem as melhores (a lesão que me atacou ainda por cá anda a fazer das suas...), fi-lo o melhor possível e foi com confiança e, naturalmente, alguma apreensão que às 7h00m da manhã estava na praia para enfrentar estes 226 kms.


A natação (cujo segmento consistia em 2 voltas realizadas no Lago Artificial - uma fabulosa estrutura, que serviu de sede à prova e que foi construído depois de terminar a exploração de carvão que alimentava a gigantesca central térmica à entrada da localidade) correu bem. Fiz o mesmo tempo em ambas as voltas, consegui gerir bem o esforço e naveguei correctamente.


O ciclismo (cujo segmento consistia em 3 voltas a um percurso totalmente fechado ao trânsito, com um perfil muito "ondulante" e marcado pelo forte vento que se fez sentir) foi um segmento onde contenção foi a palavra de ordem. Estava com receio deste segmento. Quer pela lesão, quer por um esforço um pouco elevado pôr toda a prova em risco. Fui sempre atento a 3 coisas: nutrição, cadência e frequência cardíaca. No final o plano deu resultado pois conclui o segmento "fresco", embora o tempo tenha sido ligeiramente acima do planeado mas isso era, para mim, uma questão secundária.


A corrida final (cujo segmento consistia em 3 voltas num piso de terra batida que acompanhava o lago) iniciou-se muito bem. Saí para a corrida "solto" e o ritmo rondava os 4' 45''/km com a frequência cardíaca nos 140 bpm. Óptimo, pensei eu. A FC está perfeita e o ritmo, ligeiramente abaixo do planeado.


Há que comer e beber para levar a prova até ao fim. E assim foi até que, sensivelmente a meio da corrida, as pernas começaram a dar sinal. A partir daí, e até ao final, foi uma batalha entre o corpo e a mente. Um queria parar, o outro queria correr o mais rápido possível. Acabámos por chegar a um acordo. Corria como podia entre os abastecimentos e caminhava durante estes. E assim foi até ao final.
No último km as emoções vieram, finalmente, à tona e saboreei tudo o que, com tantas horas de treino e privação, conquistei. Se valeu a pena? Definitivamente, sim.


Aqui fica um resumo dos tempos.
Natação (3,8 km): 1h19'26''
T1: 5'40''
Ciclismo (180 km): 6h06'42''
T2: 3'13''
Corrida (42,2 km): 3h53'40''
Total: 11h28'40''
Classificação: 68.º lugar geral (cerca de 400 triatletas à partida)
Todos os resultados podem ser consultados aqui.


A equipa do Porto Runners está de parabéns. Colectivamente a secção masculina classificou-se em 4.º lugar entre as 22 equipas presentes e a Susana venceu a competição feminina.

À organização também só posso dar os parabéns. Tudo foi (bem) pensado e proporcionaram-nos óptimas condições para a prova. Desde os abastecimentos (bastante completos) aos voluntários (incansáveis ao longo de todos os percursos sempre com o "ânimo" característico dos espanhóis), tudo foi bom (o facto de alguns dos elementos da organização serem triatletas e já terem realizado provas na distância Ironman é certamente um factor que contribuiu para este sucesso).

Resta-me agradecer a todos os que contribuíram para que este desafio fosse superado: Dra. Patrícia Gomes (podologista), António Facão (bike fit), Dr. André Haug (Fisioterapeuta), Nuno Ferreira (colega de muitos kms de bicicleta) e, claro, à minha noiva Liliana que comigo partilhou todas as angústias, incertezas, horas de treino mas também as alegrias. Obrigado a todos!

Agora há que recuperar e preparar os próximos desafios. A minha disputa com esta distância fica em "stand by", uma vez que não fiquei convencido com esta batalha.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Hard Work... Done!

O objectivo da época aproxima-se a passos largos e, com os treinos deste fim de semana, o trabalho árduo ficou feito.
Aqui pelos "arredores" de Viseu, fiz um treino longo de ciclismo seguido de uma ligeira corrida.


O percurso foi escolhido de forma a não ter subidas grandes (embora tenha tido grandes subidas) mas o sobe e desce é inevitável nesta zona e, no final dos 140 kms, a altimetria ultrapassou os 2.500 D+. Não é o ideal para a prova mas é o que consegue...

 

Depois do ciclismo e de uma transição breve fiz cerca de 7 kms de corrida e as sensações foram boas.

 

Agora é tempo de descansar e aguardar o grande dia.
Bons treinos!

sábado, 10 de maio de 2014

Tirem-me o sono mas não o sonho!...

Depois de mais uma semana de labuta (e alguns treinos) o fim de semana é aproveitado para descansar... do trabalho, porque em relação aos treinos a conversa é outra. Fim de semana é sinónimo de treinos longos e muitos kms.
Hoje de manhã foi dia de corrida. Saí de casa todo equipado (hidratação e alimentação na cintura, música nas orelhas e boné na cabeça) com o objectivo de cumprir cerca de 25 kms a um ritmo confortável. O percurso estava estipulado e prometia umas subidas (ligeiras e essencialmente na ida), ou não estivesse eu em Viseu.


Com a companhia do Zambujo na ida e do Gabriel no regresso lá cumpri o treino (24,5 kms em 1h52m).
As dores, essas, andam sempre por cá mas, como cantava o Gabriel hoje ao meu ouvido, elas podem tirar-me o sono mas não o sonho!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

3 dígitos...

Os treinos têm vindo a ficar mais consolidados e, a cerca de 8 semanas de um dos objectivos da época, é altura de aumentar o volume.
Depois de uma semana mais calma para recuperar do Triatlo Longo de Ovar, esta semana que agora terminou foi de regresso ao trabalho.
Assim, no dia 25, realizei o primeiro treino do ano com 3 dígitos, algo que já não fazia há muito tempo.
Foram 101 kms de bicicleta, realizados a solo, em cerca de 3h55m com quase 1.500 D+.


Ontem foi dia de "longão". 21 kms de corrida realizados em 1h30m.
Vamos ver se o corpo me vai deixando aumentar o volume sem se queixar muito.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Triatlo Longo de Ovar - Campeonato Ibérico de Triatlo

Decorreu em Ovar, no fim de semana passado, a 1.ª etapa do Campeonato Ibérico de Triatlo (as outras serão em Tui/Espanha a 3 de Agosto, em Viana do Castelo/Portugal a 31 de Agosto e em Sanabria/Espanha a 21 de Setembro).



Apesar de todas as contingências inerentes às correcções que ando a fazer para tratar da minha lesão, ando a treinar com regularidade desde o início do ano e tinha, confesso, imensa vontade de volta a competir (ainda que a ritmos controlados, coerentes com a quantidade e qualidade dos treinos realizados). 
Sendo esta prova na minha terra natal, ainda por cima na distância longa (se bem que também houve uma prova na distância olímpica - que teve menos participantes que a longa, curiosamente) tinha toda a vontade de a realizar.
Há muita coisa para dizer sobre a prova mas o que realmente interessa é que eu voltei à competição e conclui a prova sem dores anormais.Com muito cuidado e sempre controlado lá fiz a prova, voltei a rever muitos companheiros, a sentir o cheiro do neoprene e a cruzar a meta com a sensação de "dever cumprido".



Apesar da organização ter alguns aspectos a rever, é sempre bom quando vemos provas a surgir, principalmente na zona norte, onde não há assim tantas. Parabéns pela iniciativa.
No entanto, na minha opinião, o valor cobrado, a lembrar outros países (ou não fosse isto um campeonato ibérico), não correspondeu à qualidade da prova.
Houve alguns pormenores que necessitam de serem melhorados. A começar pelas distâncias. A distância longa deveria der disputada como Half-Ironman quando o que tivemos na realidade foram 81 kms de bicicleta e 19,5 kms de corrida. A dificuldade da prova pode variar por uma série de razões (natação com ou sem fato, ciclismo mais ou menos duro, etc.) mas a distância deve ser comum.
Na água, em virtude da maré, houve zonas onde tínhamos 50 cm de água (havendo alguns atletas que aproveitavam para caminhar !!!???...). Depois tínhamos apenas 4 bóias ao longo do percurso (2 na partida e 2 no retorno) o que dificultou a navegação (da partida à 1.ª bóia de retorno tínhamos mais de 800 m).


Houve uma série de alterações de última hora (desde o número de voltas do segmento de corrida, até mesmo pequenas mudanças no percurso) e, se quisermos ser "picuinhas", até o pack de inscrição foi alterado (a toalha anunciada não foi entregue).
Ainda assim reitero a opinião de é sempre bom quando vemos provas novas a surgir. Mais uma vez parabéns pela iniciativa e venha de lá o 2.º Triatlo de Ovar.
Relativamente à minha prestação, tendo em conta a preparação, foi bastante agradável. Consegui nadar "bem", apesar da confusão normal da partida e da minha falta de treino em conjunto e com o fato isotérmico.
O percurso de ciclismo era bastante interessante, com sobe e desce (ligeiro) constante. Consegui rolar bem nos aerobars, sem exagerar no ritmo, alimentando-me e hidratando-me em condições. Só não consegui evitar uma "paragem técnica" já na última volta.


Na corrida senti-me "solto" do início ao fim do segmento, conseguindo correr a ritmos interessantes.



Aqui ficam os tempos dos segmentos.
Natação (1,9 km): 0:39:12
1.ª Transição: 0:03:13
Ciclismo (81 km): 2:27:34
2.ª Transição: 0:01:34
Corrida (19,5 km): 1:25:37
Total: 4:37:13
A classificação, pouco importante neste caso, foi de 62.º da Geral (27.º no AG 35/39).

Fiquei contente pois as indicações são boas para a continuação do trabalho.
Obrigado aos que me permitiram chegar a esta prova minimamente preparado e aos que se deslocaram e me apoiaram nesta batalha.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Grande Prémio de Atletismo "Os Ílhavos"

Ílhavo marcou o meu regresso à estrada em termos competitivos quase 8 meses depois da última prova.


No fim de semana passado, sem treinos específicos realizados e ainda a recuperar da lesão, fui a Ílhavo para fazer o gosto às pernas. Tenho feito uns treinos, embora ainda sem grande intensidade, e a ânsia de competir (todo aquele fervilhar é especial) falou mais alto. O objectivo era conviver com os colegas e fazer um "treino rápido".


Dada a partida deixei-me levar e fiquei muito contente com as sensações. Fiz um ritmo que julgava impensável e senti-me bem.
Cumpri os cerca de 7 kms (um pouco menos) em 23'18'' e fiquei em (pouco importante) 28.º lugar da Geral Masc. (20.º Sénior).


O Clube de Atletismo de Ovar teve um bom desempenho e ficou em 3.º lugar por equipas em Séniores Masc..


Vamos esperar que o corpo continue a reagir bem e possa aumentar o volume e a intensidade dos treinos.