segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

São Silvestre Cidade do Porto

Dezembro é mês de corridas de São Silvestre...
Um pouco por toda a parte (ok, estou a exagerar um pouco) lá se vão realizando estas corridas típicas do final de ano.
Depois do ano passado ter faltado, este ano regressei à S. Silvestre Cidade do Porto.


Como eu foram muitos os que o fizeram. As inscrições para a prova estavam esgotadas à algumas semanas. 10.000 atletas eram esperados no Porto, sendo 6.000 para os 10 kms e 4.000 para a mini/caminhada. Contudo, um pouco menos de 5.000 chegaram à meta...

Não são provas onde se consigam grandes resultados [pelo menos para quem, como eu, não tem número "VIP" (os critérios de atribuição de números "VIP", esses, ficam para outro texto...) e demora cerca de 30 segundos para chegar à partida, fazendo o primeiro km em 4'30'' ziguezagueando por entre a multidão que, teimosamente, apesar do ritmo lento de corrida faz questão de partir na frente, indo para a zona de partida quase no dia anterior...] mas, nesta altura do ano em que a forma e as provas principais ainda estão longe, gosto de me "motivar" com estas provas de corrida.

A malta de Ovar foi, animada, de comboio até S. Bento. O facto dos atletas terem a viagem de regresso gratuita (bastando apresentar o dorsal da prova) - boa iniciativa da organização! - e a dificuldade que é arranjar estacionamento, para além do convívio durante as viagens, justifica bem esta opção.
Aí chegados e, depois dos procedimentos logísticos habituais, lá nos equipámos (obrigado Orlando!) e fomos para a partida. Tínhamos duas opções: ou aquecíamos e ficávamos para trás na partida ou, para ficar mais à frente, não dava para aquecer. Ficámos pelo meio termo mas, ainda assim, tivemos que saltar as grades para conseguir um lugar um pouco mais à frente (mesmo assim demorámos quase 30'' a chegar à partida, com a agravante de ter um primeiro km horrível que compromete qualquer esperança de conseguir um tempo razoável).
A organização ainda se deu ao trabalho de, aquando das inscrições, dividir os atletas em 4 grupos: Elite (ou "VIP"), Grupo A, B e C, conforme o prognóstico de tempo final. A ideia, penso eu pelo que me apercebi, era agrupar os atletas na partida de acordo com estes grupos. Esta ideia, interessante e que já realiza noutras provas, cai no entanto por terra quando não se coloca ninguém a controlar isso e se deixa que sejam os atletas a fazê-lo (infelizmente ainda não chegámos a um estado social de tal forma elevado que permita que as coisas funcionem assim...).

O percurso (novo, para mim que não fiz a edição passada) é interessante. Exigente, como já era o anterior, mas com a passagem do Túnel de Ceuta que nos impulsiona quando as forças já começam a faltar. Depois, correr à noite na cidade é sempre fantástico. Sejam as luzes, as pessoas, ou simplesmente porque não é habitual a mim sabe-me sempre bem. Ainda para mais quando tinha chovido bastante anteriormente e, pouco antes da prova, a chuva parou para que nós pudéssemos passar...


A prova, propriamente dita, foi a possível. Os 35'49'' de tempo oficial (35'30'' de tempo líquido) colocam-me em 85.º da Geral (32.º Sénior Masculino). Podem ver a classificação completa aqui.
Agora seguem-se uns treinos ligeiros (que a época festiva assim o pede) e, em Janeiro, regresso em força à rotina.
Boas Festas!

domingo, 9 de dezembro de 2012

55.ª Volta a Paranhos

A "silly season" já acabou à algum tempo. Depois do Triatlo de Sevilha fiz uma bela e recuperadora pausa (activa) e estou de volta aos treinos (ainda que não a 100% mas já com regularidade) acerca de 1 mês.
Na água as coisas vão correndo bem (estou a nadar melhor, pelo menos mais rápido - obrigado André!) e nos outros 2 segmentos vou fazendo pela vida, de forma a preparar os próximos desafios.
Ainda sem os objectivos bem traçados para a próxima época (vamos ver o que o calendário nacional de Triatlo nos reserva, embora haja já algumas provas que eu gostaria de fazer em terras de nuestros hermanos, assim me deixe o governo) aproveito esta fase para dar uma perninha nas provas de corrida e engrossar as fileiras do Clube de Atletismo de Ovar.
Depois de ter feito o Trail da Lousã, este fim de semana foi a vez da mítica Volta a Paranhos.


Esta prova vai já na sua 55.ª edição e contou com um recorde de participantes (1700 atletas).
O dia, apesar de frio, estava solarengo e convidava à corrida. Mais uma vez os 10 kms da prova "circulavam" Paranhos e levaram-me a recordar os locais por onde andei enquanto estudava.


Longe da forma em que me encontrava o ano passado iniciei a prova controlado e, apesar de conseguir cumprir com os andamentos pré-estabelecidos, tive que sofrer bastante.
Cumpri os 10 kms em 35' 05'', alcançando o 55.º lugar da Geral (36.º Sénior Masculino).
Os resultados completos podem ser consultados aqui.
A Lili, apesar da imensa vontade em participar, ainda não foi desta que se estreou nos 10 kms. Mas está para breve!
No final ainda houve tempo para conviver um pouco com os amigos que, tal como eu, participaram nesta festa. É mais uma das belezas deste (do) desporto!
Para a semana regresso ao Porto para a S. Silvestre da cidade.