segunda-feira, 11 de julho de 2011

VI Duatlo da Ribeira de Ovar - 9.Julho.2011

A Ribeira de Ovar voltou a receber (pelo 6.º ano consecutivo) o Duatlo, organizado pela associação local em colaboração com a Federação de Triatlo.
Esta prova, de promoção (e, como tal, diferente do que é habitual, quer em relação à organização quer em relação aos participantes), contou com a participação de cerca de 50 atletas (exclusivamente do Norte do país) que proporcionaram bons e genuínos momentos desportivos.
Depois de no ano passado não ter podido participar nesta prova (estava a recuperar de uma queda sofrida na semana anterior), este ano vinha com vontade de fazer boa figura, não só porque a prova era na minha cidade, mas também para alegrar a minha claque de apoio (os meus colegas de treino do Atletismo) que aí se deslocou (e a quem desde já agradeço!).
A prova iniciou-se com 5 kms de corrida, divididos em 2 voltas, que incluíam uma passagem no pinhal e muitos metros por entre árvores e campos, num percurso agradável. A partida foi bastante rápida (alguns atletas mais novos saíram que nem flechas) mas, dado que pretendia alcançar um bom resultado, fui com os atletas da frente e à passagem pelo primeiro km (em 3' 04''!!!) já só estávamos 3 atletas na liderança (nunca tinha andado na frente de uma corrida...). No decorrer da segunda volta o atleta do CFV isolou-se na frente, o atleta do Galitos atrasou-se e eu fiquei ali no meio, na segunda posição. O resto são apenas kms, pois a classificação não viria a sofrer mais alterações até ao final.


O percurso de ciclismo (4 voltas que totalizavam 16 kms) era acessível e, apesar do trânsito não estar cortado (estava apenas condicionado) não me apercebi de problemas. Durante este segmento ainda forcei o andamento de forma a tentar chegar ao primeiro lugar mas foi em vão. A distância para o primeiro não se alterou (cerca de 20 segundos). Felizmente a minha distância para o terceiro também se manteve, pelo que o último segmento (2,5 kms de corrida - 1 volta) foi feito num ritmo mais controlado.
No final, ao cruzar a meta, a sensação foi estranha. Por um lado foi uma óptima prova e uma classificação nunca antes conseguida, mas por outro lado o facto do primeiro lugar ter ficado ali tão perto, a escassos segundos...


Em termos colectivos, após algumas indecisões relativamente às classificações (uma situação a rever pela organização), o Porto Runners conseguiu o 4.º lugar colectivo arrecadando mais uma taça para o seu espólio.

 (Pedro Lopes, Hugo Gomes e Jorge Carneiro)

terça-feira, 5 de julho de 2011

Um homem, dois dias, duas cidades, duas provas...

Este meu fim de semana quase dava argumento para um filme.
Parece que já estou a ver...
"Um homem, dois dias, duas cidades, duas provas..." (suspense)

Sábado

Aveiro recebeu este fim de semana a 2.ª etapa do Campeonato Nacional de Triatlo.


Apenas uma semana após o Campeonato da Europa de Pontevedra e, com tantos relatos "negros" ainda ponderei não realizar esta prova. Contudo, depois de Montemor não me ter corrido nada bem, e com alguma esperança de conseguir ir à finalíssima do Campeonato Nacional de Triatlo, decidi participar.
A prova decorre bem no centro da cidade, num belo local e com bastante público a assistir. Parecem reunidas as condições para uma prova fantástica. Puro engano!
Se a água do canal, ainda antes dos atletas iniciarem o aquecimento, já tem uma aspecto duvidoso, quando cerca de 200 almas entram na água e se iniciam as movimentações, todos os sedimentos, maus cheiros, etc. surgem e é uma experiência indescritível permanecer naquelas águas (aqueles momentos antes da partida são inenarráveis)... Dada a partida há que contar com um canal estreito para todos os atletas, que ainda para mais se cruzam, uns na ida e outros já no regresso. É de facto um segmento de Natação sui generis o desta prova. Para um mau nadador como eu há ainda a acrescentar o facto da água estar a 23ºC e, como tal, não ser permitido o uso de fato isotérmico. Fiz o melhor que pude mas quando saí da água não pude deixar de ficar um pouco desanimado, voltei a nadar os 1500 metros bem acima dos 30 minutos...
Transição feita haviam 6 voltas de Ciclismo para cumprir num total de 40 kms. Muitas voltas, muitos retornos e algum sobe e desce constituíam este desgastante percurso. Como habitualmente fui pedalando, quase sempre sozinho, tentando recuperar posições. Ia já na terceira volta quando fui apanhado por um grupo que seguia a bom ritmo. Aproveitei a oportunidade e integrei-me, resistindo até ao final do segmento às diversas mudanças de ritmo a que a tecnicidade deste percurso convidava.
Mais uma transição e mais uma corrida (4 voltas num total de 10 kms). Adoptei a táctica que havia seguido em Pontevedra - a primeira volta a controlar e as outras sempre a melhorar - pois as pernas doridas assim o exigiam. Num percurso bonito, sempre nas margens do canal onde havíamos nadado, o tempo passou depressa e a meta chegou rapidamente.

 (O Porto Runners Triatlo fez-se representar por Jorge Carneiro, Hugo Gomes, Nuno Ribeiro e Nélson Sousa)

Consegui melhorar o tempo relativamente à prova de Pontevedra e mantenho entreaberta a janela que me pode levar à finalíssima...
A prova em números:
Natação: 34:17
T1: 00:58
Ciclismo: 1:09:13
T2: 00:51
Corrida: 38:34
Total: 2:23:56
Classificação: 81.º Geral / 42.º Sénior Masc.

Domingo

A Piscina Olímpica (50m) do Complexo do Jamor recebeu este fim de semana o Campeonato Nacional/Open de Verão de Masters.
Apesar de fraco nadador, gosto do espírito destas competições e, havendo oportunidade, participo. Assim, domingo de manhã lá me encontrei com um colega para, em conjunto (numa agradável viagem de comboio), nos dirigirmos para Oeiras, onde já se encontrava a equipa de Masters do C. D. Feirense que havia participado nas provas de sábado.

(O Clube Desportivo Feirense contou com a presença de 7 atletas:  André Bastos, Daniel Oliveira,
Fernando Duarte, João Bastos, Hugo Gomes, José Roberto Silva e Patrícia Oliveira)

Apenas participei na prova de 100 metros livres (sim, fiz 600 kms para nadar 100 metros) e, apesar do cansaço do dia anterior, consegui pela primeira vez baixar da marca dos 1:30. Nadei os 100 m livres no tempo de 1:29.97, alcançando a 17.ª posição do meu escalão.