domingo, 31 de outubro de 2010

18.º Grande Prémio de Atletismo Terra Nova / Gafanha da Nazaré 2010

O encerramento desta última semana de treino duro antes da Maratona tinha sido planeado com uma sessão de ritmo de 8 km para 3'45'' + 6 kms para 3'35''. Contudo, dada a existência do Grande Prémio de Atletismo Terra Nova / Gafanha da Nazaré decidimos substituí-la por esta prova.
O final da semana tinha ficado marcado pelo mau tempo e, para não variar, a chuva, o vento e o frio acompanharam-nos nesta deslocação à Gafanha.
A prova foi interessante. Constituída por 2 voltas de 4 kms cada e plana. Não fosse o mau tempo (havia zonas mesmo muito ventosas) e teria sido ainda mais agradável.
Procurei cumprir com os objectivos (temporais) estabelecidos e fiz a prova com um ritmo médio ligeiramente acima dos 3' 30''/km. No final o tempo de 28'42'' permitiu-me ficar na 23.ª posição da Geral (15.º Sénior Masculino).
Aqui fica a tabela com os tempos parciais (tecnologia Garmin em acção).



O trabalho para a Maratona está feito. Agora é limar umas pequenas arestas e evitar complicações de última hora.
Counting down mode on...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Garmin Forerunner 310XT HRM

Há já algum tempo que pretendia comprar um equipamento que me permitisse controlar melhor o meu treino (principalmente em termos de ritmos e distâncias percorridas) para assim substituir o meu fiel cardiofrequêncimetro Polar F4.
Depois de muito procurar e testar decidi comprar o Garmin Forerunner 310XT HRM.


E porquê? Porque é laranja e eu gosto muito desta cor...
Para além disto porque tem uma bateria com autonomia para mais de 20 horas de duração, porque é à prova de água até 50 metros, porque dá para programar tudo e mais alguma coisa, etc. São muitas as funcionalidades desta máquina (podem consultar as especificações técnicas aqui).
Ainda ponderei outras opções dentro desta série da Garmin, nomeadamente o Forerunner 110 (bonito, prático - até para o dia a dia - mas muito básico) e o Forerunner 305 mas, como estas coisas não se compram todos os dias, decidi comprar a menina dos meus olhos... o 310XT HRM.
Vai ser o meu companheiro de muitos treinos, muitas horas, muitos kms, muito desespero e muita alegria, muitas aventuras e desventuras...
Bem vindo ao meu mundo companheiro!

domingo, 24 de outubro de 2010

13.ª Corrida do Castelo (2010)

A Maratona do Porto aproxima-se a passos largos.
Já estamos a menos de 2 semanas para a minha estreia nesta distância e, finalmente, o volume de treino começou a diminuir. Mas foi apenas o volume que diminuiu porque a intensidade, essa, manteve-se alta.
O treinador decidiu que as medidas de austeridade também deviam ser impostas aos treinos e, vai daí, aumentou as distâncias a percorrer e diminuiu o tempo de descanso (e aqui não há reuniões de concertação para negociar estas medidas...).
Para fechar a semana nada melhor do que uma prova (que não estava nos meus planos). Tratou-se da 13.ª Corrida do Castelo, em Santa Maria da Feira.


A prova era aqui ao lado, na cidade onde trabalho e, como a ideia inicial era fazer um treino de ritmo (e acabou por ser mas com um ritmo mais forte do que eu tinha pensado), lá fui fazer os 10 kms.
Assim que o tiro de partida soou tive que fazer um slalom por entre os participantes (a prova teve uma boa adesão e os participantes eram muitos) para chegar às posições que eu queria. Ao passar a marca do 1.º Km olhei para o cronometro - que marcava 3'31'' - e pensei "este ritmo já é forte demais para o que eu quero, vou abrandar". E assim fiz ou, pelo menos, penso que fiz. O que é certo é que passei aos 2 kms com 6'58'' e aos 3 kms com 10'27''. A primeira volta (a prova tinha 2 voltas com 5 kms cada uma) estava quase a terminar e eu fui mantendo o ritmo vivo. A frequência respiratória, apesar de elevada, ia controlada e as pernas iam-me dando bons sinais e eu decidi manter (mas com receio de quebrar na 2.ª volta e ter que sofrer bastante para chegar à meta). Passei aos 5 kms com 17'39''.
Na 2.ª volta o meu objectivo era tentar manter o ritmo pois aumentar era, para não dizer impossível, muito difícil. E assim fiz. Lá fui controlando a situação para minimizar o sofrimento. Ao longo do percurso, colocados quase estrategicamente, encontrei alguns colegas (Quimzé, Isabel, Zé Roberto) que me incentivaram e a quem agradeço. Obrigado!
Terminei os 10 kms com o tempo de 35'24'' (média de 3'32''/km) na 55.ª posição da Geral (26.º Sénior Masc.).
Fiquei bastante satisfeito com o meu desempenho pois fiz uma média bastante razoável o que, juntando ao volume que já levo, me dá boas indicações para a Maratona.

sábado, 16 de outubro de 2010

Long Weekend

Este vai ser um fim de semana em cheio...
Entre jantares e almoços tenho 2 treinos para fazer.
Hoje vão ser 10 x 800 m e amanhã (bem cedo) 25 km.
A Maratona aproxima-se a passos largos, os kms (e o cansaço) vão-se acumulando mas...

terça-feira, 5 de outubro de 2010

22.ª Meia Maratona "Cidade de Ovar"

Esta prova tinha, para mim, um significado especial.
Não só porque era na minha cidade mas também por que foi nesta prova, há precisamente 1 ano, que eu reingressei no desporto depois de alguns anos parado.
Este ano, muito melhor preparado que o ano anterior (obrigado Branco!) tinha naturalmente outros objectivos.
Numa prova com cerca de 1500 atletas a competir os momentos iniciais são sempre complicados. Este ano, contudo, como consegui ter acesso aos lugares dianteiros na partida (obrigado Ricardo!) as coisas foram mais fáceis. Dorsais VIP, assim lhes chamam eles. Foi uma sensação engraçada mas estranha, estar ali no meio dos melhores. Foi, ainda assim, uma sensação curta, apenas até ao momento da partida. A partir daí a diferença de andamento não mais me deu essa sensação...
A minha ideia para a prova era tentar que a Carla Martinho seguisse comigo o máximo de tempo possível (enquanto ela aguentasse) [Isto é, naturalmente, brincadeira. A ordem correcta é a inversa.] mas, desta feita, ela partiu rápido demais para mim e apenas o Jorge seguiu com ela (ele viria mesmo a deixa-la junto aos 18 kms para terminar a prova em 53.º lugar da Geral, no fantástico registo de 1h 16' 21''). Assim sendo, formamos um grupo (coeso, quase toda a malta que treina junto) e seguimos em conjunto, a bom ritmo, pelo centro da cidade, com muitos aplausos.


Os kms foram passando, sem grandes peripécias até que, aos 13 kms, a caminho do Furadouro, o Hélder apertou um pouco e pareceu-me ver o "homem da marreta" à minha espera. Mas não, ele escondeu-se e esperou pacientemente que eu fosse dar a volta à praia para, no regresso, aos 15 kms me atacar. Acertou-me com tal precisão e potência nas pernas que eu comecei a quebrar. A partir daqui foi sempre a sofrer. Tentei colar a alguns elementos que seguiam à minha frente para evitar seguir sozinho e fui conseguindo. A passagem pelo Carregal, com bastante público, ajudou.
Depois, no retorno colocado em direcção ao Areinho assisti a uma cena lamentável, eticamente reprovável e que, infelizmente, já chegou ao Atletismo. Neste controlo - tal como no do Furadouro - a passagem é confirmada por meio de uma pulseira que deve ser entregue no final da prova. Houve atletas que passaram pulseiras a outros, evitando assim que estes cumpram a totalidade do percurso. Realmente lamentável, vergonhosa para os atletas e até para a organização estas situações. Implementem rápidamente o sistema de controlo por chip para acabar com estes aldabrões.
Adiante. A prova aproximava-se do fim (bem como as minhas forças) e, a partir do km 19, acabei por ficar mesmo isolado.




Não tinha ninguém, estava por minha conta. A minha cabeça só pensava na Meta e dei tudo o que as pernas deixaram. No final o cronómetro marcou o tempo de 1h 17' 59'' (tempos parciais: 5 kms - 18' 29''; 10 kms - 18' 43''; 15 kms - 18' 16''; 20 kms - 18' 36''), terminando em 74.º lugar da Geral.
O tempo foi dentro do que eu tinha planeado mas fiquei com um sabor amargo (e não foi da água)...
Só há uma coisa a fazer... treinar.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Briooosa!...

A manhã acordou chuvosa - o adjectivo correcto será, talvez, tempestuosa - ameaçando cancelar o espectáculo. Mantive-me atento às notícias e aquilo que se ia dizendo era que o concerto iria ser realizado. O que é certo é que, ao longo do dia, o tempo foi melhorando e eu estava cada vez mais convencido. Lá tratei de encetar contactos e arranjei uma bela boleia até Coimbra (obrigado Quimzé), partilhada com alguma malta amiga.
Chegados a Coimbra era hora de preparar o estômago para o que se seguiria. Nada melhor do que um Centro Comercial a abarrotar (o piso da alimentação, que os outros estavam "às moscas" - sinais dos tempos) para satisfazer o apetite.
Depois de tratada a questão da alimentação foi tempo de seguir para o Estádio. Foi uma entrada muito pacífica. Sem grandes filas, sem tempos de espera, sem confusões. O ambiente já começava a aquecer e a questão da chuva era agora subjectiva (embora continuasse a molhar). À saída das galerias, em direcção ao relvado a imagem era esta...


A 1.ª parte do concerto foi feita pelos Interpol. Apesar de ser uma banda que eu conheço (e que tem umas músicas que gosto), não me convenceu (possivelmente porque eu queria mesmo era ver os U2).
E assim, poucos minutos antes das 22 horas, os U2 entravam no palco com um sonoro "Briooosa!..." lançado por Bono Vox. A recepção foi, como seria de esperar, fantástica.
Seguiram-se 2 horas onde a tecnologia (aquele palco é uma coisa estupenda) aliada às canções inesquecíveis brindaram todos os presentes com um espectáculo fabuloso.


Bono revelou estar em boa forma física, sempre em movimento ao longo de todo o concerto. Como não podia deixar de ser, Bono foi mostrando o seu lado político e músicas como "Sunday Bloody Sunday", "Walk On" e "One" cumpriram o seu papel. No final do concerto (que teve 2 encores) a chuva, que parou assim que os U2 subiram ao palco, voltou a marcar presença, levando a que Bono saísse cantando "I'm singing in the rain".
Para terminar a noite, já a caminho de casa, nada como uma bela sande de leitão e uma cerveja.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Counting Down...

Pois é, estamos em contagem decrescente...

Terminado o treino de ontem - o último treino intervalado antes da Meia Maratona Cidade de Ovar - entramos em contagem decrescente para essa grande prova vareira.
A preparação está feita, agora é esperar que tudo corra pelo melhor para que consigamos (sim porque há aqui uma grande equipa de trabalho) alcançar os nossos objectivos.
Deixo-vos com o percurso da prova para se irem mentalizando...



Mas, como nem só de Atletismo vive o homem, há uma outra contagem decrescente paralela à da Meia Maratona...

 

É já este fim de semana que a banda irlandesa composta por Bono Vox, The Egde, Larry Mullen Jr. e Adam Clayton se desloca a Coimbra para dar mais um (neste caso dois) espectáculo integrado na sua 360º Tour, cujo início foi a 30 de Junho de 2009, em Barcelona.
Domingo lá estarei para aplaudir estes grandes senhores.