terça-feira, 31 de maio de 2011

II Triatlo Longo de Aveiro - S. Jacinto, 29.Maio.2011


Realizou-se este fim de semana, em S. Jacinto - Aveiro, a 3.ª (e ao que parece última) etapa do Campeonato Nacional de Triatlo Longo. Esta bela localidade, plena de potencialidades para a modalidade, recebeu mais de 150 triatletas que cumpriram os 1,9 kms de Natação, 90 kms de Ciclismo e 21,1 kms de Corrida.
Depois de ter experimentado esta distância em Lisboa vinha a S. Jacinto com o objectivo de gerir melhor o meu esforço de forma a conseguir correr melhor e, consequentemente, melhorar o meu tempo. Longe de saber o que iria acontecer durante a prova, pensava que se me aproximasse das 5 horas seria bom, 4 h 59 m seria óptimo.



A Natação, não me correndo mal, foi perturbada pela minha falta de visibilidade e, consequente, má orientação. Alguns zig-zags, alguns segundos com a cabeça no ar à procura das bóias mas, ainda assim, um tempo bom para um nadador mediocre como eu. Depois de uma transição rápida seguiam-se 4 voltas de bicicleta entre S. Jacinto e a Torreira, num percurso plano mas com o vento contra a fazer-se sentir no regresso depois do retorno. A lamentar também a presença de inúmeros carros no percurso, ainda que controlados pela GNR.


Fiz um segmento controlado, alimentando-me convenientemente, reservando alguma energia para a corrida de forma a evitar o sofrimento de Lisboa.
No final do Ciclismo há um momento que viria a marcar esta minha prova. Alcancei o meu colega do Porto Runners, Telmo, que se debateu com alguns problemas na bicicleta. Ao passar por ele trocámos algumas palavras. Vou-te ajudar na corrida, prepara-te para bater o teu recorde, disse-me ele.



Fizemos toda a Corrida juntos, com o Telmo sempre a marcar o ritmo e a aguardar por mim quando eu me atrasava um pouco (Obrigado pelo apoio Telmo! Um abraço!). O percurso da corrida, constituído por 5 voltas, era muito desgastante, decorrendo quase na totalidade dentro da Base Aérea (mas bem medido, ao contrário de Lisboa que tinha menos 1 km). O ritmo inicial que impusemos (4 min./km) era, teoricamente, forte para mim. Contudo, eu ia à vontade, pelo que mantivemos o andamento. E assim fizemos durante toda a Corrida, com excepção dos últimos 3 kms, onde as forças me começaram a faltar e o ritmo baixou ligeiramente.
No final, após cruzar a meta e verificar o tempo da prova eu nem queria acreditar.
Nunca nos meus melhores sonhos eu pensei fazer este tempo. Pulverizei completamente o meu tempo de Lisboa, tirando-lhe mais de 27 minutos.
Aqui ficam os números.

Natação: 00:37:14
T1: 00:01:46
Ciclismo: 02:42:42
T2: 00:01:28
Corrida: 01:25:14
Total: 04:48:26
Classificação: 52.º Geral

sábado, 21 de maio de 2011

SRAM S60

Depois de terminar o Triatlo Longo de Lisboa (era a minha prova de teste) decidi que iria investir um pouco mais nas distâncias longas.
Para além dos treinos havia a questão da bicicleta. Como, por agora, o meu rendimento não justifica o investimento numa bicicleta de Triatlo puro decidi que iria investir num par de rodas.
Depois de alguns contactos, muitas leituras, indecisões, etc. acabei por adquirir as SRAM S60 (ainda ponderei a S80 para trás mas assim tenho umas rodas mais polivalentes).


Do pouco uso que, até agora, lhes dei a sensação é agradável. Vamos ver o que os resultados dizem acerca deste investimento.
A lamentar, para já, são as milhentas afinações que sou obrigado a fazer sempre que tenho que trocar as rodas habituais por estas... Pode ser que com a prática tudo se torne mais fácil.


Aqui está a máquina pronta para as distâncias longas. Venha daí S. Jacinto...

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Triatlo de Montemor-o-Velho - 15.Maio.2011


Este ano, para mim, são estreias atrás de estreias. Depois de, à 2 semanas, ter realizado pela primeira vez um Half Ironman, hoje fiz o meu primeiro Triatlo na distância Olímpica (esta progressão não foi muito "natural" mas...). Esta primeira etapa do Campeonato Nacional de Triatlo 2011 disputou-se esta manhã em Montemor-o-Velho.
O dia estava quente o que era um bom presságio para a prova mas, o forte vento que se fazia sentir, anunciava dificuldades. A água do Centro Náutico estava bastante ondulada e, no Ciclismo, todos os percursos contra o vento criavam sérias dificuldades (já para não falar numa subida quase no início do segmento).
Eu, que habitualmente já não sou grande nadador, fiz hoje uma natação sofrível. Este segmento consistia em 2 voltas de 750 metros cada, tendo os triatletas que sair da água no final da primeira volta, correr pelo pontão e mergulhar para cumprir a segunda volta. Usei a minha habitual táctica e, procurando fugir da confusão, lá fui nadando no ritmo (calmo) que achava ser o melhor para mim. A ondulação era forte e estava contra até à primeira bóia o que dificultou não só a progressão mas também a navegação. Já estava eu a chegar ao pontão para completar a primeira volta quando passam por mim a uma velocidade estonteante os atletas que lideravam a prova. Em 2 voltas eu consegui levar uma volta de avanço... Fantástico! Tenho mesmo que investir (ainda) mais neste segmento.
Terminada a Natação tive uma sensação do tipo "déjá vu". Quando cheguei ao PT havia pouco mais de meia dúzia de bicicletas. Fez-me lembrar o meu primeiro Triatlo... Tanto treino, tantas horas, tantos sacríficios e os resultados tardam em aparecer...
Adiante. Lá me montei na bicicleta e fiz-me à estrada para cumprir os 40 kms de Ciclismo, divididos por 6 voltas. O percurso, para além do inevitável vento e do elevado número de voltas, apresentava algumas curvas e zonas perigosas (infelizmente verificaram-se alguns acidentes, um deles com um colega do Porto Runners). É certamente um segmento a rever pela organização.
Estava a terminar a primeira volta quando sou apanhado por um grupo que seguia a bom ritmo. Apanhei o comboio e segui com eles. Acompanhei-os durante algum tempo até que, na "tal" subida, não consegui aguentar o ritmo e fiquei com outros companheiros que também saíram deste grupo. Fomos então trabalhando em conjunto até ao final do segmento.
Só faltava a corrida (4 voltas de 2,5 kms cada) e eu estava com receio que me acontecesse o mesmo que em Lisboa. No início a única coisa que me ia a importunar era o estômago. Não sei se bebi ou comi demais na bicicleta ou se terá sido outra coisa mas o que é certo é que não ia confortável. Sem exagerar no ritmo lá fui ficando melhor à medida que os kms iam passando e, tal como gosto, consegui terminar em força fazendo uma última volta interessante.
O resultado final, não ficando muito aquém do que eu tinha imaginado (2:35:00), sabe-me a pouco pois aquela Natação...
Aqui ficam os números:
Natação: 00:41:24
T1: 00:01:07
Ciclismo: 01:11:58
T2: 00:01:11
Corrida: 00:42:40
Total: 02:38:22
Classificação: 125º Geral

domingo, 1 de maio de 2011

VI Lisbon Long Distance International Triathlon

Vamos já à parte mais importante: terminei o meu primeiro Half Ironman!
Isto dito (escrito) assim desta forma pode parecer bruto - e foi!... - mas já lá vamos.
Há já algum tempo (desde o início da época, mais precisamente) que eu tinha pensado em aumentar a distância das minha provas. A passagem para a distância Olímpica era óbvia e não levantava grandes questões mas, sendo a Natação o meu "calcanhar de Aquiles", quem nada 1500 metros também nada 1900... Vai daí, decidi que este ano me aventuraria na distância Half Ironman (1,9 km de Natação + 90 km de Ciclismo + 21,1 km de Corrida). E, porque não em Lisboa?! E assim foi.

Depois de muitos treinos (e muitas incertezas e inseguranças) eis que chega o grande dia!
O dia anterior (sexta) tinha sido diluviano. Metade de Lisboa estava inundada e a prova ameaçava ser prejudicada pelo tempo. Ainda relativamente a sexta, vai-me ficar na memória o ambiente que se vivia no terraço do Tryp Hotel, onde estava instalado o secretariado e a expo da prova. Tanta gente, tantas línguas, tanta diversidade unida numa só coisa - o Triatlo! Imperdível!
Continuando. A manhã de sábado começou bastante cedo (apesar de tudo consegui dormir bastante melhor do que o que estava à espera) e, felizmente para todos, com um tempo bem melhor que o dia anterior. Depois dos preparativos habituais, lá fui para o local da prova. Quando cheguei ao parque de transição, cerca das 6h30m, encontro o Nuno (meu colega do Porto Runners) que, como foi participar no King of the Sea, decidiu ir dar-nos uma força (o Porto Runners fez-se representar por 4 triatletas: Rui Costa, António Ribeiro, Pedro Lopes e Hugo Gomes). Obrigado Nuno! Feito o body marking (mais uma estreia para mim) é tempo de colocar todo o material no parque e conversar com a malta conhecida (esta é sempre uma parte interessante das provas!).


A hora da partida aproximava-se e eu, que já tinha dado umas braçadas no Oceanário, não estava muito nervoso (bom sinal!). A buzina soou e eu lanço-me para os 1.900m de Natação. Adoptei a única estratégia possível: seguir no meu ritmo. Apesar do número de triatletas (558 à partida) não apanhei muita confusão (o habitual, apenas) e foi com algum à vontade que dei por mim já na segunda volta a caminho do final da Natação. O segmento que eu mais temia estava feito, sem problemas de maior e dentro do tempo que eu tinha idealizado. Venha o Ciclismo!


Este segmento era composto por 4 voltas que totalizavam 90 kms. Os kms foram passando, o ritmo estava ligeiramente acima do que tinha pensado mas, como me estava a sentir bem, deixei-me ir. A meio da última volta senti um mau estar nas coxas e, para precaver dissabores, liguei o cruise control até ao final do segmento. Ainda assim o tempo deu mais rápido cerca de 6 minutos do que o previsto e os estragos já estavam feitos.
Só faltava a Corrida e aí eu não tenho problemas, pensei. Bem me enganei... O objectivo era fazer 1h30min, pelo que saí ao ritmo pretendido de 4'25''/4'30''/km. Nos kms iniciais as picadas nas coxas eram constantes mas eu tinha um objectivo a cumprir e mantive o andamento. Fui mais forte que as picadas e elas desistiram. Até que, aos 10 kms, começou-me a doer tudo e tive mesmo que baixar o ritmo. Não havia mais nada a fazer, só me restava arrastar-me até à meta mas, com 2 voltas (10 kms) por cumprir, esta foi uma tarefa muito (mesmo muito) complicada.


A minha prova em números:
Natação: 00:42:35
1.ª Transição: 00:04:05
Ciclismo: 02:48:40
2.ª Transição: 00:02:18
Corrida: 01:38:11
Final: 05:15:51
Classificação: 287.º Lugar da Geral (530 atletas concluíram a prova)

Nestas provas a gestão do esforço é fundamental e, possivelmente devido ao entusiasmo e à vontade de fazer um bom tempo, no Ciclismo fui mais rápido do que devia o que se veio a reflectir na Corrida. Apesar de não afectar a minha estimativa do tempo final (5h15m) o sofrimento da Corrida foi muito complicado de suportar. Há que aprender com os erros. Esta foi a minha estreia nesta distância e, apesar da parte final, gostei bastante da experiência. É sem dúvida para repetir. Venha de lá S. Jacinto!

Não podia terminar sem agradecer a todos aqueles que contribuíram, das mais diversas maneiras, para o meu (quase) sucesso nesta prova, especialmente aos meus colegas de treino, aos "misters" André e Branco e à minha namorada que me apoia e acompanha nestas aventuras. Obrigado!